Marrocos
 
Gastronomia
A cozinha marroquina reúne muitos pratos deliciosos. Entre os mais famosos estão:
Cuscús:  farinha de cereal com frango ou cordeiro, e  legumes
Méchúi: cordeiro assado no assador ou no forno.
Pastilha:  É o famoso doce - salgado marroquino. É uma fina massa de  folhado recheada de  frango , peixe ou carne de pombo.
Tajine: Ragut de carne, de frango, peixe e legumes guisados.
Chá de hortelã:  Toma-se a qualquer hora.  Serve para reanimar e para tranquilizar.
Confeitaria : Torta de mel, feqqas com amêndoas, uvas passas, ghoriba com amêndoas...
 
 
Feriados:
Na vida civil segue-se o calendário gregoriano. A sexta-feira não é feriado.  A administração e os serviços públicos  adiam a reabertura do comercio na parte da tarde, para que os fiéis possam fazer suas orações. Ao ser  10 dias mais curto  o calendário islâmico do que o gregoriano  as datas das festas religiosas mudam todos os anos.

As festas religiosas são: 
Aid el-Fitr marca o final do mês do Ramadão .
Aid el-Kebir  Festa do carneiro.
Mulud Celebração do nascimento do profeta Maomé
Feriados  nacionais:
1 de Janeiro: Ano novo
11 de Janeiro:  Manifesto da independência
1 de Maio: Dia de trabalho
30 de Julho: Festa do trono
14 de Agosto: Festa da vasalagem no Uad Eddahab
20 de Agosto: Aniversário da Revolução do Rei e do Povo.
21 de Agosto: Festa da Juventude
6 de Novembro: Aniversário da Marcha Verde
18 de Novembro: Festa da Independência.
 
 
Folclore:
As tradições e artes populares  são muito vivas no Marrocos. A música sempre presente no país acompanha as festas e as cerimônias. As danças folclóricas são  magníficas e mostram o ritmo da vida das tribos.  Eis aqui as principais:
EL Ahouach dos vales do Alto Atlas. As mulheres formam um círculo que rodeia os homens que tocam tamborim.
EL Ahaidous do Meio Atlas: homens e mulheres em círculo marcam o ritmo batendo os pés no chão .
La Guedra   do sul de Marrocos . a dançarina fica ajoelhada , totalmente coberta por um véu preto.  As mãos da dançarina ondulam e enfeitiçam ao público.
El Tissint de Tata: do Sul  de Agadir: mulheres e homens vestidos de azul índigo fazem a dança de punhal.
As fantasias: É um excelente exercício guerreiro onde os homens à cavalo fazem acrobacias incríveis e disparam seus “moukhala”  (trabuco) durante um galope desenfreado, mas em perfeita sincronização.
 
 
Sobre o país e as cidades
Desde  a época pré-histórica   varias civilizações  se sucederam em Marrocos. Até o domínio  árabe no século VIII entre  mais importantes vemos os fenícios, os cartagineses , os gregos, os romanos e os vândalos. Hoje em dia, Marrocos é uma monarquia constitucional. Em 1999 o rei Mohammed VI  acedeu ao trono. Descendente do profeta, é também o chefe religioso do Marrocos. A continuação lhes oferecemos  alguns dados cronológicos que ajudam localizar as cidades e os monumentos no seu contexto histórico.
 
 
Marrakech
É uma das quatro cidades imperiais do Marrocos. Teve o privilegio dar o seu nome a todo país. A cidade nasceu de uma “Kasbah” –acampamento- estabelecido pelo rei almorávide Abou Bekr em 1070 num oásis entre as cordilheiras Atlas e perto do Sahara. Foi capital das dinastias dos almoravides , dos almohades (1146-1268) ,e dos saadianos (1520-1668).
Em 1912 foi ocupado pelas tropas francesas. A nova cidade foi fundada à 3 kms. da Medina em 1913.
Marrakech devido a sua situação geográfica e pelos monumentos que tem, é um dos pontos turísticos mais importantes do Marrocos.
No centro do bairro antigo ergue-se a torre da mesquita Koutubia construída em 1153 , a que é o símbolo da cidade. A torre tem uma altura de 77 metros.
A maior atração turística da cidade é a “Praça de Jamaa al Fna” situada entre a Medina e Koutoubia. Apresenta um espetáculo mágico ao ar livre ao entardecer. Neste espetáculo participam atores, dançarinos, acrobatas, encantadores de serpentes, curandeiros e comedores de fogo.
No entanto, a cidade tem belos jardins. Os de Aguedal reúne todo tipo de arvores de frutas e os da Menara que pertencia aos sultões ,tem um lago artificial onde se reflete a imagem de um lindo pavilhão do século XIX.
Outros monumentos de interesse da cidade são mesquita e madrasa -escola da teologia islâmica- de Ali Bem Yussef, os palácios de Badi, Dar Si Said e Bahia, os túmulos dos Saadianos e a mesquita de El-Mansur.
 
 
Fez
Fez  é uma das cidades mais prestigiosas  do mundo muçulmano. É o centro cultural e religioso  do país. Além de ser a mais antiga das cidades imperiais , é  a capital da primeira dinastia árabe do Marrocos.  A cidade é considerada patrimônio histórico da humanidade pela Unesco.
 
Foi fundada por Idrís II em 809. Atingiu o seu máximo esplendor na época almorávide  e almohade. Escolhida de novo como capital pelos meriníes obteve numerosos edifícios lindos.
Com a chegada dos alauitas (1664) voltou  a ser capital até ao ano 1912, em que começou o protetorado francês. Nesta data Rabat virou a  capital administrativa do país.
 
A cidade se divide em dois lados totalmente distintos. Fez  Bali, ou a “cidade velha”, e Fez Jedid, a “cidade nova”.
 
Fez Jedid sem muitos atrativos , é marcada pela presença do suntuoso palácio de Dar el Makhzen.  Fez Bali, por sua vez, concentra a maior e mais completa medina do mundo árabe, um enorme labirinto de vielas apertadas e tortuosas.
 
Em Fez Bali estão  as medersas  como la Bou Inania ou a Attarin, santuários   como o de Muley Idris II, e a mesquita e Universidade Karaouin. As estreitas ruas deste maravilhoso lugar vão-nos levar por um universo de cheiros e sons.  Os zocos , a infinidade dos postos pequenos,  os bairros de artesanato – (trabalhadores de metal, da madeira, oleiros, etc.), tintureiros,  coureiros , as praças (Neyarin, Sefarin) e as “fonduk” , antigas residencias para comerciantes e estábulos transformados em depósitos, todos estão  ali. 
 
No bairro andalus  da medina, está o Palácio Dar Batha. O palácio contem no seu interior o Museu da Arte Marroquino. O museu é um belo exemplo da arquitetura hispano-morisca.  Expõe coleções preciosas da arte e do artesanato de Fez. A coleção arqueológica contem peças do séc. XII.







excursao-marrocos
excursao-marrocos erfoud pacote-marrocos pacote-marrocos pacote-marrocos marrakech excursao-marrocos pacote-marrocos pacote-marrocos viagem-marrocos excursao-marrocos viagem-marrocos viagem-marrocos viagem-marrocos viagem-marrocos viagem-marrocos viagem-marrocos pacote-marrocos marrocos marrocos marrocos marrocos marrocos marrocos marrocos excursao-marrocos excursao-marrocos excursao-marrocos zagora fez fez zagora
 
Rabat
A cidade situa-se a beira do oceano atlântico na desembocadura do rio Bou Regreg. É a capital administrativa e política do  Marrocos.
É uma cidade muito tranqüila . Seus monumentos, as numerosas praias que a rodeiam,  suas largas avenidas, sua infra-estrutura de estradas e de turismo fazem dela uma cidade agradável para visitar e para viver. Desde acima das ruínas da torre Hassán, pode-se contemplar os bairros de Rabat que refletem sua rica história.A cidade foi fundada no séc. X  a partir de um  “ribat” –mosteiro militar muçulmano-, e transformou-se na capital do almohade Almansur.  Depois de Almansur perdeu uma grande parte da sua importância.
 
Em 1627 virou o refúgio dos piratas que fundaram a República do Bou Regreg.

Em 1912 com a chegada do protetorado virou de novo capital. Nesta data começou o urbanismo moderno e adotou-se ao quadro histórico. Os bairros possuem  avenidas largas. Os ministérios  ocupam uma posição elevada e têm jardins com fontes magníficas. Um dos lugares mais atrativos da cidade é a “Kasbah dos Oudayas”.  É uma fortaleça com um lindo jardim que data da época almohade. Os Oudayas são uma tribo árabe que chegaram a Marrocos no século XIII.  A mesquita mais antiga de Rabat e o Museu das Artes Marroquino também se encontra neste lugar.
 
Entre os monumentos mais importantes destacam A Torre Hassán , com uma altura de 44m e o mausoléu de Mohammed V. É uma obra mestra da arquitetura hispano–morisca e da arte tradicional marroquina.  No mesmo lugar também se encontram um museu e uma mesquita.
 
Ao sul da cidade encontra-se a necrópole de Chelaj, antiga cidade fenícia e romana. Neste lugar estão os túmulos dos sultões merínidas dos séc. XIII e XIV. Perto de Chelaj  ergue-se o Palácio Real.
 
 
Meknes
A cidade de Meknes foi transformada na capital imperial pelo sultão alauita Muley Ismael nos séculos XVII e XVIII. Ele mandou construir portas majestosas, estábulos, fontes, jardins, mesquitas, kasbashs, palácios e  25 kms. de muralhas ao redor da cidade. Ele também pessoalmente participou  em algumas obras. Transformou a cidade numa autêntica maravilha. A cidade chegou a ser conhecida como “A Versalles do Marrocos”.  Com sua morte  começou a decadência. Os seus sucessores levaram a capital à Fez ou à Marrakech. E o terremoto de 1755 fez muitos danos na  cidade.
 
Nove portas grandiosas , chamadas em árabe de “babs”, cada qual com quatro grandes torres dão acesso à velha cidade. A mais bela destas portas , Bab Mansour foi concluida em 1732 . Entre outras obras importantes de Muley Ismael encontram-se Dar el-Ma , a Casa da Água, Heri es-Suani, imenso celeiro e armazém real com muros e com altas câmaras  coroadas por cúpulas.
 
Outros monumentos de interesse são Kubet el Jiyatín, pavilhão onde se recebiam os embaixadores e o Mausoléu de Muley Ismael., mesquita restaurada por Mohammed V.
 
Casablanca
Situada entre Fez e Marrakech é  a maior cidade de Marrocos. 10% dos habitantes do Marrocos moram nesta cidade.  É a capital financeira, industrial e econômica.
A cidade foi destruída pelos portugueses duas vezes em 1468 e em 1515.  Sessenta anos depois os lusitanos reconstruíram a cidade com fortaleças e batizaram com o nome  de Casa Branca.
Sidi Mohammed Bem Abdellah , sultão alaoita, iniciou a sua reconstrução lhe dando o nome de Dar el Beida.  Os espanhóis que moravam desde finais do séc. XVIII  batizaram a cidade  como Casablanca. E é este o nome com o que tudo mundo conhece esta cidade.
A cidade além de uma réplica do Rick’s Café  American  no hotel Hyatt Regency , e do nome , tem poucas referências ao clássico do cinema em que desempenharam papel Humphrey Bogart e Ingrid Bergman.  Tudo o filme foi gravado nos estúdios de Hollywood.
Entretanto a  única atração turística da cidade é a mesquita de Hassan II, com sua torre de 200 m. de altura.
 
Ouarzazate
Esta cidade é um dos lugares mais conhecidos do Marrocos. Indo de Marrakech para Ouarzazete a paisagem vira mais rochosa e agreste . Aparecem as pequenas casas de pedra com teto plano de terra batida e as “Kasbash” -os “Castelos do Deserto -,  imponentes construções de adobe  ou de pedra estrategicamente situadas. Na rota atravessa-se a cordilheira do Alto Atlas pela porta de Tizi N’Tichka (2255m.)
Ouarzazate foi fundada em 1928 como uma guarnição pelos franceses.  É o centro administrativo da região de Dra.
Na estrada para Boumalen del Dades pode-se visitar a Kasbah Ta Ourit. Foi a antiga residência do Pacha de Marrakeh e hoje em dia precisa de um restauro urgente.
Outra Kasbah famosa é a Kasbah de Tiffoultoute. É de adobe, de cor ocre pálido. Está  a uma altura de 1160 m. desde  o nível do mar.
A cidade também atrai visitantes pelo centro de artesanato famoso pelas cerâmicas bereberes.
  
 
Tinerhir
Situada entre Tafilelet e o vale do Dra, Tinerhir além de ser  um belo oásis, é uma verdadeira jóia arquitetônica e ambiental. Foi construida em terraças  aos pés de uma palmeiral para a qual se abrem as janelas das casas de adobe. Por perto passa o rio Todrha,que irriga as laranjeiras, as oliveiras e as romãzeiras.
Existem na zona numerosos povoados típicos pela arquitetura das suas casas.

Erfoud
Ao sul , muito perto do deserto Sahara está Erfoud, um dos mais belos e importantes oásis do Marrocos. Em 1916 foi construída uma base militar pelos franceses neste lugar.  Hoje desde este ponto saem as excursões para as dunas do Sahara. Entre as  dunas mais bonitas destacam  as de Merzouga. Perto de aí também se encontra o grande oásis de Tafilalet com quasi 350.000 palmeiras regado pelos rios Ziz e Rehris.
Termos de Uso do Portal
Este portal é de propriedade da Fui Viagens e Turismo, a qual se exime de qualquer ônus decorrente do mal uso das informações aqui disponíveis. Todo conteúdo - texto, imagens, vídeos, links -  deste portal é de propriedade intelectual privada. Sua divulgação - mesmo que parcial - não está autorizada.

Fui Viagens - Nossa Sra. de Copacabana 1183 Cobertura 2 - CEP 22070-011- Rio de Janeiro - Tel: +55 21 2227 3164 - 2113 9050 - info@fuiviagens.com.br
Horários de funcionamento: De Segunda à Sexta: 09:00 - 18:00 - Sábado e Domingo: Fechado
© 2019 FUI VIAGENS BRASIL - Todos os direitos reservados