Informações sobre o México,
Honduras e Guatemala


Principais Centros Arqueológicos
Estado de Oaxaca
Monte Albán, um dos centros espirituais mais fantásticos do México, o mais antigo com influência Olmeca. Mitla, fundada pelos zapotecas e com uns relevos espetaculares talhados em pedra.

Estado de Veracruz
Veracruz é uma localidade costeira cheia de alegria na qual se destaca o baluarte de São João de Ulua, o Zocalo, o Farol de Carranza, assim como o porto e o Levi. Jalapa, capital do estado, contém paisagem privilegiada. O Tajín é o depósito arqueológico mais importante da costa do golfo de México e um dos mais enigmáticos.

Estado de Chiapas
Palenque, um dos assentamentos Maias mais belos, situado em meio a um atrativo Parque Nacional. Com um estilo próprio, cheio de personalidade, está fortemente relacionado às cidades perdidas da Guatemala.

Estado de Yucatan
Esta península é uma terra cheia de história e gente hospitaleira, se apresenta como um dos melhores lugares para conhecer a cultura Maia e desfrutar, possivelmente, das melhores praias do México. Chichen Itzá, situada entre Mérida e Cancun, é a grande cidade do século VII. Destaca-se o templo de Kukulcán, a escadinha da Grande Pirâmide e o trono do Jaguar Vermelho. Uxmal, a máxima expressão da arquitetura Maia, que se concreta na Pirâmide do Hechicero, a Casa das Tartarugas e o Quadrangular das Freiras. Calakmul é patrimônio Cultural da Humanidade e foi a cidade dominante em seu período. Uma jóia que não deve perder-se.

Cidades Coloniais
Oaxaca
Cidade colorida, Oaxaca é uma surpresa para os sentidos, bela e desenfadada, ao mais puro estilo mexicano, onde sempre há alguma festa para celebrar. Sua vida se estende nos arredores de Zócalo e destacam sua catedral, a Igreja de São João de Deus, a Igreja de Santo Domingo e o Palácio do Governo.

Mérida
É uma cidade Branca, talvez a mais hospitaleira das cidades coloniais da Península de Yucatán. Suas ruas combinam com delicada harmonia elementos indígenas e espanhóis, em suas ruas de pedra e em seus belos jardins. Destacam-se a catedral, a Casa de Montejo e os conventos de La Concepción, São Francisco e La Mejorada. Em Celestún, a 98 km de Mérida se encontra a reserva natural de aves migratórias, flamencos, garças reais e cormorões. Um espetáculo da natureza em seu habitat natural.

Guadalajara
Capital de Jalisco, é a segunda cidade mais importante do México e guarda as tradições mexicanas quase intactas, que se misturam com o espírito da cidade moderna. Seus pontos de interesse são a Catedral, a Praça Tapatía, o Teatro Degollado, a Praça de Armas, etc.

Patzcuaro
Pequena e elegante, próxima à Morelia (Michoacán), conserva as tradições indígenas em meio a belas mansões de estilo espanhol e suntuosas igrejas.

Zacatecas
Uma belíssima cidade colonial na qual se destacam o Teatro Calderón, o Templo de Santo Domingo e a Mina do Éden, entre outros.

Morelia
Declarada Patrimônio da Humanidade é uma das cidades coloniais mais bonitas da América. Em suas ruas encontramos a Catedral, a Casa da Cultura, o Palácio Clavijero e a Praça dos Mártires, uma das mais belas do país.

Querétaro
Distingue-se pela beleza de seus campanários e suas casinhas antigas. A Casa da Cultura, o elegante Aqueduto e o Templo de São Francisco são três de suas jóias.

San Miguel de Allende
Foi declarado Monumento Nacional e é um importante centro cultural e artístico. Entre seus múltiplos edifícios, recomendamos a Paróquia de São Miguel, O Museu da Casa Allende e o Oratório de São Felipe Neri.

São Cristóvão das Casas
Cidade cultural indígena por excelência. Destacam-se a Igreja de Santo Domingo, a Catedral e a Casa de Diego Mazariegos. São Cristóvão é ponto de partida para visitar os povos de Juan Chamula, onde sua igreja é como uma viagem ao passado com cultos ancestrais e Zinacantán, onde a vida dos índios segue a mesma de muitos anos.

Outros lugares de interesse
Seria impossível enumerar todas as cidades, povos e monumentos que têm um alto grau de interesse no México. Nesse apanhado mencionamos unicamente algumas das coisas que não se deve perder.

México D.F
Uma capital sem tamanho, se desmancha marcando infinitos perfis, desde os altos edifícios do Passeio da Reforma até as casas senhoris de Coyoacán ou a religiosidade da Vila de Guadalupe. Ao norte, o importante jazer arqueológico de Teotihuacán, cidade dos Deuses, com o templo do Sol e o Templo da Lua.

Barrancas do Cobre
Situada no coração dos Estados de Chihuahua e Sinaloa, esse lugar se farta de grandes canhões e barrancas. Cinco vezes mais largo e uma vez mais profundo que o canhão do Colorado, onde a terra rompeu-se em profundas gretas e abismos.

Baixa Califórnia

Formada por parte da costa noroeste e uma península, a Baixa Califórnia vive marcada pela influência norte americana e suas condições são ideais para o mergulho e esportes aquáticos. Vale à pena descobrir suas praias desertas, as cavernas com pinturas pré-históricas e as baleias espetaculares no lago Scammon (Janeiro a Março).

Riviera Maia
Costa da natureza transbordante tanto nos arrecifes de corais como na densidade da selva, guarda templos espetaculares como o de Tulum e jóias naturais como a reserva da Biosfera de Sian Ka’na, junto à vertiginosa Cancun e a mais familiar e animada localidade da Praia do Carmen.

Interessante saber
Quando ir?
O clima varia de acordo com a altitude. As zonas costeiras e terras baixas (terra quente) são calorosas com níveis altos de umidade, enquanto a zona do planalto central tem um clima temperado durante todo o ano, incluindo no inverno. O clima das regiões montanhosas do interior é suave, mas às vezes tem mudanças bruscas de temperatura entre o dia e a noite.

Moeda

No México não há limite para a importação de diversidades estrangeiras. Ainda que a unidade monetária seja o peso mexicano, é preferível levar dólares (em dinheiro ou cheques de viagem) para facilitar o câmbio e todos os comércios e prestadores de serviços, sobretudo nas áreas turísticas. Pode-se realizar o câmbio em bancos, casas de câmbio e hotéis, mas em geral, nesses últimos, as condições são menos vantajosas.

O que comer?
A maioria dos restaurantes e bares do México tem serviço de bar e garçons, ainda que, atualmente também haja cadeias de self-service rápido. A comida mexicana é deliciosa, muito variada e absolutamente original.

Idioma
O espanhol é a língua oficial do México, que seguiu uma revolução própria desde o século XVI, o que explica as diferenças que existem com relação ao espanhol peninsular no que diz respeito ao vocabulário, o predomínio da forma “ustedes” ou a entonação e o ritmo, muito mais pausado que o da Espanha.

Saúde
Não se pede nenhuma vacina.

Rede elétrica: 110 v
Diferença horária: UTC -6 /8
Código Telefônico: 52

Vistos:
Desde 16 de Maio de 2013, os brasileiros estão isentos de visto para entrar no México para viagens de curta duração, no máximo 180 dias.

Tesouro inexplorado
Há uma parte do espírito mexicano guardado na região desconhecida da Baixa Califórnia , que aparece como uma opção diferente, fora dos circuitos habituais. Um lugar onde convivem o deserto da  Baixa Califórnia do Sul, com seus cactos de película e o surpreendente Oásis de palmeiras de Mulegé, com as paisagens marinhas mais belas sobre o Mar de Cortés que podem ser contemplados desde Punta Chivato, a Bahia Concepción, onde houveram as primeiras missões espanholas e ressona as notas da mística “Hotel California” dos Eagles, transformado hoje em um lugar de referência na gastronomia da região. Na Baixa Califórnia se encontram alguns dos hotéis mais exclusivos do planeta; pinturas rupestres, como as das jazidas da Duna Alta do Rancho de São Francisco e das antigas missões espanholas de Loreto, Francisco Javier, São José do Cabo e Santa Rosália de Mulege. Os amantes da natureza ficarão boquiabertos diante do espetáculo da migração das baleias que chegam até a costa da Califórnia Baixa do Sul; ou com alguns dos melhores fundos marinhos do mundo, ideais para a prática do mergulho nos arredores de La Paz. E os que procuram um canto boêmio, ímã dos artistas do mundo todo, que aporta autenticidade a uma viagem, esse lugar se chama Todos Santos. Diferentes propostas para descobrir esta península que se desprende do México mostrando uma faceta a mais da maior diversidade desse país americano.

Baixa Califórnia do Sul
A transformação da península da Baixa Califórnia  em uma Meca turística internacional ocorreu de uma maneira rápida. Devido aos abundantes recursos naturais da região, suas paisagens espetaculares e suas novas infra-estruturas, essa península atrai atualmente mais de um milhão de visitantes por ano.
 
Em 1974 esse território passou a ser um Estado livre e soberano e sua capital La Paz cresceu como uma cidade rica em história e plena de encanto tradicional. Na ponta Sudoeste da península jaz a região dos Cabos, ue se converteu na Riviera do México. Loreto e Mulegé oferecem um ambiente mais tranqüilo e tradicional mexicano. A Califórnia Baixa do Sul está se aproveitando de seus abundantes recursos turísticos à medida que um número cada vez maior de visitantes procura o poder de cura mágica e sua terra encantada.

Cabo São Lucas
A região mais ao sul dos cabos sofreu uma mudança radical nos últimos anos, estando em processo um que turístico de alto nível, com alguns dos hotéis de luxo mais exclusivos do planeta. Os cabos oferecem ao todo: centros de recreação cinco estrelas, hotéis íntimos, pesca esportiva, mergulho, golfe e cozinha esplêndida. Incluídas nas cidades do Cabo estão: São Lucas, São José do Cabo e o corredor turístico localizado em ambas as cidades. Cabo São Lucas, na ponta da península, oferece uma vida noturna vibrante com seus numerosos cafés e danceterias. São José do Cabo oferece restaurantes pitorescos, excelente oportunidades para comprar arte e artesanato mexicano, além de um magnífico centro, ressaltado pela arquitetura tradicional e a missão de São José do Cabo.

Todos Santos
Situada ao lado do Pacífico, a 72 km ao norte do Cabo São Lucas, um lugar especial onde vivem artistas, poetas, pintores e artesões, oferecendo um ambiente tranquilo e único em arte e artesanato.
 

viagens-méxico-pacotes-méxico
viagens-méxico-pacotes-méxico viagens-méxico-pacotes-méxico viagens-méxico-pacotes-méxico-xochimilco viagens-méxico-pirámides-de-teotihuacan viagens-méxico-pacotes-méxico-casa-da-frida viagens-méxico-pacotes-méxico-frida-kahlo viagens-méxico-pacotes-méxico viagens-méxico-Malinalco viagens-méxico-pacotes-para-méxico viagens-méxico-pacotes-méxico viagens-méxico-pacotes-méxico-xochicalco viagens-méxico-pacotes-méxico-mariachi viagens-méxico-pacotes-méxico-igreja-santa-prisca viagens-méxico-pacotes-para-méxico viagens-méxico-pacotes-méxico-quetzalcóatl viagens-méxico-pacotes-méxico-cholula-piramide viagens-méxico-Santa-María-Tonantzintla viagens-méxico-basílica-de-guadalupe viagens-méxico-pacotes-méxico viagens-méxico-pacotes-para-méxico viagens-guatemala-pacotes-guatemala viagens-guatemala-pacotes-guatemala viagens-honduras-pacotes-honduras viagens-honduras-pacotes-honduras

Largas seções de praia de areia branca possuem de algumas das melhores ondas do mundo para surfar. O Hotel Califórnia, famoso pela canção do grupo Eagles “Nunca chove no sul da Califórnia” surpreende por sua estrutura, decoração rica e excelente cozinha. Merece uma visita cuidadosa e o desfrute de uma tequila repousante.

La Paz
La Paz e a área ao seu redor são um paraíso para os eco-turistas e um dos melhores destinos para o mergulho com mais de 25 lugares de categoria mundial, rodeando a Bahia de La Paz, as Ilhas do Espírito Santo, São José e Cerralvo. Cabo Pulmo é uma região do Cabo do Leste, que foi declarado recentemente reserva marinha e que contém um dos poucos recifes de corais viventes da América do Norte e é o entorno de numerosas espécies marinhas exóticas. As colônias de leões marinhos, migrações de baleias, raias gigantes, golfinhos e um número impressionante de tubarões, em particular os tubarões martelo atraem os aficionados por mergulho nessa região.
Loreto
Em 25 de outubro de 1697, 162 anos depois que o conquistador espanhol Hernán Cortés não pode dominar a Califórnia Baixa do Sul, um padre Jesuíta chamado Juan Maria de Salvatierra utilizou seu zelo e convicções religiosas para estabelecer a primeira missão da área da Califórnia em Loreto. Antes da chegada dos Jesuítas, os índios cochimies e guaycuras viveram nos exuberantes canhões aproveitando os recursos marinhos abundantes e a vida silvestre nas montanhas da Serra da Giganta. Em 1699, nessas montanhas incríveis protegidas por picos dentados, onde o padre Francisco Piccolo estabeleceu a segunda missão da região da Califórnia, a de Francisco Xavier. Há uma gama ampla de atividades ao ar livre: trajetos em caiaque, mergulho, snorkeling, pesca, golfe e caminhadas nas montanhas. Em meio ao ambiente sereno de Loreto, obtém-se vistas panorâmicas espetaculares. As Ilhas de Coronado, Carmen, Danzantes, Montserrat e Catalán sustentam uma zona pesqueira prolífica que forma atualmente parte da reserva marinha protegida de Loreto que se estabeleceu com o fim de conservar a rica biodiversidade dessa massa aquática espetacular.

Punta Chivato – Mulegé
Punta Chivato é, sem dúvida, um dos melhores lugares da região por localizar-se na frente do Mar de Cortes e por seus arredores. Lugar ideal para desfrutar do mar e dispor de um espaço para acomodação e visitar os arredores da área.
Mulegé, situada em um vale exuberante de palmeiras e água fresca, oferece uma gama completa de atividades que abarcam desde a pesca esportiva, o mergulho e os passeios de caiaque até as viagens de aventura que incluem desde as caminhadas ecológicas até a exploração das pinturas rupestres nos arredores.
A Missão de Santa Rosália de Mulegé, fundada em 1705 por Juan Ugarte, segue atualmente em uso e se levanta como uma lembrança proeminente do passado histórico da Califórnia Baixa do Sul. Durante muito tempo, Mulegé tem sido o destino favorito dos ecoturistas que desejam descansar e ter contato com a natureza.
Guerreiro Negro, aonde nos meses de Janeiro a Março chegam as baleias cinza e as águas ao redor da Lagoa Olho de Lebre, onde esses mamíferos aparecem. Caracteriza-se por suas salinas enormes, consideradas as maiores do mundo.
Santa Rosália se caracteriza por sua arquitetura francesa, onde alguns dos edifícios originais foram desenhados por Gustave Eiffel em 1898.
São Inácio: A porta da entrada da Lagoa de São Inácio e as pinturas rupestres da Serra de São Francisco foram descobertos em 1716 pelo jesuíta Francisco Maria Piccolo. O jesuíta João Batista Luyando fundou a missão posteriormente em 1728 que é hoje um belo exemplo bem restaurado de interesse histórico. Milhares de palmeiras e uma lagoa de água fresca oferecem aos viajantes cansados um descanso prazeroso do desolador interior do deserto Vizcaíno.

Baleias
Todos os anos começa a mais antiga migração de mamíferos e em terra conhecida à medida que as baleias cinza empreendem a árdua tarefa de viajar mais de 5.000 milhas (8.040 km) das frias águas do mar de Bering até as três lagoas primárias de águas mornas perto da costa da Califórnia Baixa do Sul. A vista a mar aberto se realiza geralmente fora da Bahia de Todos os Santos (Enseada), região onde se localiza a rota de passagem desse cetáceo formoso. Não obstante, também há visitas da Lagoa do Olho de Lebre e da Lagoa de São Inácio. O período de visita é geralmente entre Janeiro e Março.

Deserto
O deserto de Carolina Baixa do Sul é um ecossistema misterioso, único e cheio de surpresas infinitas. Através dos séculos, sua flora e fauna evoluíram com características endêmicas como conseqüência de seu isolamento. Tem vales de aparência estranha, com cactos que se parecem a sentinelas, cactos primitivos, árvores gigantes e choyas com espinhos (uma das 4.000 plantas diferentes que formam o tapete verde) e espinhosa na terra arenosa. Ali se encontram diversas espécies de pássaros sedentários e de aves migratórias e é comum ver falcões, pica-paus, grandes papa-léguas, colibris, xanthus e pardais cinza. Abundam também os ovinos quilombogas de chifres grandes, raposas, coiotes, veados, pumas, ratões do deserto e esquilos, que se incorporam quase invisivelmente à paisagem tranqüila.

Pinturas Rupestres
Antes do conquistador Hernán Cortés, tribos errantes perambularam pelas terras do que agora se conhece como Califórnia Baixa. Eles foram caçadores e colhiam alimentos, praticavam magia e artes curadoras, guerrearam com clãs rivais e depois desapareceram, deixando para trás muito poucas evidências de sua existência, com exceção das pinturas rupestres nas paredes de rocha. As magníficas pinturas de tom marrom se encontram em muitas áreas, geralmente em falésias e salientes protegidos. Os trabalhos mais impressionantes estão no assentamento de Duna Alta, do rancho São Francisco da Serra. Até a data, o mistério continua sem solução quanto ao verdadeiro significado dessas obras antigas de arte que nos precederam.

Mergulho e Pesca esportiva
No início da década de 1960, a pesca esportiva foi o que atraiu o pessoal de Hollywood a aventurar-se no sul do território inexplorado de Califórnia Baixa. De lugares com nomes como “Rancho Buena Vista”e ”Flying sportsman's Lodge" surgiram histórias de batalhas fantásticas com enormes exemplares de pesca esportiva. Hoje ainda é possível desfrutar de uma das melhores pescas esportivas do continente. O Merlin, o atum, o dourado, o peixe espada, o mero, o pargo, a sardinha e o peixe galo são algumas das espécies que abundam nos profundos canhões marinhos e nos recifes dos arredores da borda. Não importa se você é um veterano, expert ou novato, a viagem à Califórnia Baixa do Sul será uma experiência única e inesquecível.

Temazcal (Medicina préhispánica tradicional)
Temazcal é um tradicional banho de vapor com ritual, para fortalecer primeiramente o espírito e depois o corpo. Acontece no interior de uma construção semi redonda, simulando a forma do ventre materno, na qual se renasce. É conduzido por um xamã ou curador, que é portador da tradição oral dos antigos mexicanos. A forma geométrica é como um iglu esquimó, feito de adobe, ladrilho ou pedra, com capacidade para 10-30 pessoas. Cânticos em náhuatl no interior são parte da cerimônia. A escuridão dentro do temazcal permite a livre expressão das emociones e se da uma catarse curadora. Algumas pessoas percebem as presenças de seres de luz que ajudam a curar.
O ritual dentro do temazcal tem a finalidade de liberar o participante de seus apegos ou cargas, que não lhe permitem chegar à felicidade verdadeira.
Dentro da medicina tradicional mexicana, se tem documentados os benefícios que traz o temazcal para ajudar à cura de diversos órgãos do corpo humano. O processo dentro do temazcal dura entre 30 minutos e 2 horas, segundo a necessidade de cada participante, determinada de comum acordo com o xamã ou condutor do ritual.
Ocorre dentro do temazcal, na escuridão e com uma alta temperatura alcançada com o vapor de uma infusão preparada à base de ervas medicinais como: Romero, Canela, Eucalipto, Menta e Ruda. É um depurador natural do corpo humano, altamente eficaz para eliminar as toxinas do corpo.
Dentro do processo se utiliza Mel de Abelha ou Sábila (Aloe Vera). Pode-se dar também chá quente ou água, para beber.
Durante e ao término do processo ocorrem banhos de água fria para alcançar uma catarse relaxante e para fechar os poros da pele. Não há restrições de idade ou sexo. É importante indicar ao xamã se padecer de alguma enfermidade de pressão ou do coração, para que ele saiba onde colocar a pessoa e por quanto tempo estará dentro do temazcal. Não há contra-indicação, mas é o xamã quem determina quem e quanto tempo pode ficar dentro do temazcal.
É recomendável fazer um temazcal como preparação prévia ao início de passeios místicos ou esotéricos, em zonas arqueológicas ou lugares de energia. Para fechar os canais de energia, também é recomendado.
Dias de operação: temazcales compartilhados aos Sábados e Domingos. Grupos ou privativos, qualquer dia da semana, pela manhã ou pela noite. Inclui cerimonial, incenso, almoço rápido e bebidas. Não inclui traslados. Favor consulte o preço no destino.
O Temazcal se localiza na zona boscosa de La Marquesa, à uma hora da cidade do México.

Guatemala
É atualmente o “Coração do Mundo Maia”. Conhecido como “O País da Primavera Eterna” é um desses países nos quais mais se vive e se sente o passado Maia, se sente em cidades como Tikal, Ceibal e Quiriguá, com suas ruínas milenares impressionantes que nos ensinam como eram e como viviam os Maias. Tikal, em pleno pulmão verde da Selva do Petén, é o autêntico expoente da vida dos Maias por mais de m milênio. Também nos surpreende com uma maravilhosa vegetação e seus arredores, que são chamados o terceiro pulmão do mundo, com macacos, pumas, jacarés, tucanos e papagaios. Nos dias atuais, podemos ainda desfrutar da espetacular beleza de seus povos indígenas, do ambiente natural que serve às vezes de cenário e de suas formas coloridas de vestir. Mercados indígenas cheios de impressões, como o Chichicastenango, em pleno planalto guatemalteco é uma experiência realmente única que é celebrada todas as quintas-feiras e domingos da semana em meio a um burburinho mercantil, que parece transportar-nos a outros tempos. O passado colonial emana a pegada desejada pelos espanhóis, especialmente palpáveis na cidade de La Antigua, capital anterior e declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.
O Lago Atitlán é uma das paisagens que não se pode tirar de vista. Panajachel é um povoado que se encontra em um dos costados do rio que tem o mesmo nome. Pelo noroeste, nos surpreendemos com a área de Izabal e o Rio Doce, um paraíso natural de onde se pode visitar o povo afro caribenho dos garifunas de Livingston. 
Moeda:
Quetzal
Fuso Horário:
UTC -6
Código Telefônico:
502
Vistos Consulares:
Brasileiros estão isentos de visto à turismo/negócios para permanência de até 90 dias.Necessário certificado de vacina contra febre amarela para viajar a Guatemala.

Honduras
As ruínas Maias estão maravilhosamente conservadas na área de Copán, centro da civilização do império e do poder da época. Trinta anos de história colonial hispânica deixaram buracos nas construções religiosas, civis e militares das cidades mais importantes do país como Tegucigalpa, Trujillo, Santa Rosa e outras. Mas o que realmente chama a atenção para esse país encantador são todas as ofertas de turismo ecológico, de aventura, conhecimento e de respeito por toda vida marinha. O parque nacional Pico Bonito, que se localiza na costa norte de Honduras, a poucos quilômetros das praias caribenhas de La Ceiba. Coberta com um bosque quase impenetrável, é incrível observar e usufruir da vasta vegetação das praias e canais, rios, montanhas e abundante fauna. Um paraíso para os amantes da natureza em seu estado natural. E como broche de ouro, a menina mimada de Honduras é sem dúvida Roatán, uma ilha a só cinqüenta quilômetros do continente, famosa por seus fundos marinhos incríveis, convertendo-se assim em um paraíso para o mergulho.
Moeda:
Lempira
Fuso Horário:
UTC -6
Código Telefônico:
504
Vistos Consulares:
Desde 01 de Janeiro de 2011   os brasileiros em viagem de até 90 dias não necessitam de visto de entrada. É necessário vacina febre amarela internacional para entrar em Honduras
Termos de Uso do Portal
Este portal é de propriedade da Fui Viagens e Turismo, a qual se exime de qualquer ônus decorrente do mal uso das informações aqui disponíveis. Todo conteúdo - texto, imagens, vídeos, links -  deste portal é de propriedade intelectual privada. Sua divulgação - mesmo que parcial - não está autorizada.

Fui Viagens - Nossa Sra. de Copacabana 1183 Cobertura 2 - CEP 22070-011- Rio de Janeiro - Tel: +55 21 2227 3164 - 2113 9050 - info@fuiviagens.com.br
Horários de funcionamento: De Segunda à Sexta: 09:00 - 18:00 - Sábado e Domingo: Fechado
© 2019 FUI VIAGENS BRASIL - Todos os direitos reservados