Informações sobre a Índia

 

DÉLI
É uma capital cheia de contrastes e contradições, onde o antigo e o novo continuamente se encontram. Na Velha Déli destacam-se:

 

  • A Mesquita de Jama Masjid, construída por Shah Vahan em arenito vermelho e mármore branco.
  • O Forte Vermelho, construído no séc. XVII em claro estilo mongol.
  • Raj Ghat, lugar onde foi incinerado Mahatma Gandhi.

 

Na Nova Déli destacam-se:

 

  • A Porta de Delhi, fundada em 1638 pelo imperador Shah Jahan.
  • Templo de Birla e o Templo Sikh, que nos surpreenderá pela profunda religiosidade dos paroquianos.
  • Minarete de Qtub Minar de mais de 72 m. de altura.

 

AGRA
Conserva seu passado medieval, no qual se destaca:

 

  • Forte Vermelho: que se reflete nas águas do Rio Yamuna.
  • Taj Mahal: um dos edifícios mais admirados do planeta.
  • Sikandra: mausoléu gigantesco dedicado ao Imperador Akbar.
  • Fathepur Sikri: cidade abandonada que foi durante 14 anos, sob o reinado de Akbar, capital do império mongol.

 

JAIPUR

Capital do estado de Rajasthan, a terra dos marajás, é uma mistura fascinante de luxuosos palácios e de ruas coloridas transitadas por um grande número de pessoas. Sua riqueza estética se molda na fachada do Palácio dos Ventos, com suas 953 janelas. Admirar a suntuosidade do City Palace satisfará a curiosidade. A surpresa fica por conta do observatório de Kantar Matar, expressão do sibaritismo cultural alcançado pelo Marajá Jai Singh II no séc. XVIII, descendente do sol, da lua e do fogo.
 
UDAIPUR
Rodeada pelo deserto, Udaipur é um oasis verde graças ao Lago Pichola. No meio das águas, a residência de verão do marajá está convertida em um dos hotéis mais famosos do mundo, o Lake Palace. O City Palace, transformado em museu e os jardins de Sahelion Ki Bari mostram o refinamento alcançado por uma das casas reais mais antigas da Índia.
 
RANAKPUR
Encontra-se o Templo de Adinath, uma das obras primas jainistas em mármore branco, finamente trabalhado, com um labirinto de terraços, colunas e abóbodas realmente espetacular.
 
CAVERNAS DE AJANTA E ELLORA
Ajanta é o máximo expoente da arte rupestre dos sec. II a.C. a V d.C.São trinta cavernas escavadas em uma ladeira semicircular, por uma comunidade de monges budistas. Dividem-se em santuários (Chatyas) e monastérios (Viharas). Ajanta conta com pinturas de grande qualidade, que refletem a vida de Buda. Em Ellora destaca-se o templo de Kailasanatha, extraído de um único bloco de pedra de dimensões impressionantes.
 
VARANASI
Ao amanhecer parece o grande templo de um país que desce suas escadarias para purificar-se nas águas do Ganges. Na Cidade Santa dos hindus, repleta de segredos por descobrir nas penumbras dos templos de Visvanath, de Bharat Mata, o de Durga e no abrigo dos macacos. Capital da espiritualidade da Índia, as rivieras sagradas do Ganges são testemunhas das cerimônias induístas que tem lugar nas escadarias ou ghats, que se prolongam por mais de 5 km. repletas de fieis de manhã até a noite. No ghat Harischandra se levantam as piras funerárias onde se fazem as cerimônias todo ano. Pegue uma barca no Ganges, ao amanhecer, caminhe no bairro do Templo de Ouro e desloque-se para fora da cidade até as ruínas de Sarnath, no parque do cervo, onde Buda pronunciou seu primeiro sermão depois de alcançar a iluminação divina.
 
KATHMANDÚ
A capital do Nepal é também a cidade dos grandes templos e casas de madeira, que se estendem pelos colossais picos nevados do Everest (8.848 m).
 
Destacam-se:
 
  • Praça Dubar: onde está o antigo Palácio Real, erguido no final do séc. VXIII.
  • Kumar Ghar: a casa da deusa vivente, impressionante edifício do séc. XCII, acolhe a menina que periodicamente é destinada a receber adoração dos fiéis desde os quatro ou cinco anos até a puberdade.
  • Pashupatinath: se impõe o recolhimento que merece um dos principais santuários do mundo.
  • Patán: conhecida como a cidade dos telhados de ouro, foi a antiga capital do país.
  • Templo de Ouro, Templo dos Mil Budas e o Palácio Real: construído no sec. VXII, está rodeado por um conjunto harmônico de templos.
  • Bhadgaon: também foi a capital do país e guarda intacto o ambiente medieval de seus edifícios e ruas, sempre repletas de um artesanato que nos encantam

 

JODHPUR
Cidade fundada no séc. XV em pleno deserto, está precedida por uma espetacular rocha coroada pelo Forte Meherangard. Ainda mais delicados são os motivos esculpidos em mármore branco do crematório real de Jashwan Thada. O Palácio do Marajá Umaid Bhawan, a maior residência privada do mundo, com 347 quartos, tem uma parte dedicada a um hotel de luxo.

 

MUMBAI (BOMBAIM)
É a porta de entrada da Índia Ocidental, uma cidade com mais de nove milhões de habitantes repleta de contrastes; dos edifícios deixados pelo colonialismo inglês, como a estação Victoria e a emblemática Porta da Índia, a torre funerária dos zoroástricos e os templos escavados nas grutas da Ilha Elefanta. Contrastes de línguas, de raças, de religiões desta grande babel que ostenta o recorde de produção mundial de longas-metragens.

 

ORCHA, GWALIOR
Orcha, a capital do antigo reino dos Bundela, com muitos templos, palácios e mausoléus erguidos durante os séc. XVI e XVII. De novo a realeza nos surpreende em Gwalior, cujos os “rajas” levantaram o esplendoroso Palácio de Man Mandir e o Grande Forte, considerado um dos mais importantes da Índia.

 

KHAJURAHO
Onde os relevos em pedra de seus 22 templos são uma crônica da vida cotidiana do povo  e da corte da dinastia Chandela, que faz 1.000 anos. As mais famosas tem um caráter erótico destacado e sua sensualidade aumenta ao contemplar as evoluções de algum bailarino que parece extraído da pedra trabalhada.

 

CALCUTÁ
No Golfo de Bengala, foi a capital do Raj britânico até 1911. As margens do rio Hoogly. É uma cidade jardim com muitos parques onde se destacam os edifícios coloniais: o Writer’s building, o Memorial Victoria, a Catedral de São Paulo. Seu museu abriga os fragmentos da famosa stupa de Barhut. O templo de Dakshinehswar, dedicado à deusa Kali, está sempre muito animado e cheio de colorido.

 

BIKANER
Cidade amuralhada que controlava o passo das caravanas que atravessavam o deserto de Thar, destacam-se seus palácios e templos de arenito vermelho e o Forte do séc. XVI.


JAISALMER
Cidade medieval do Sec. XII, está cercada por uma muralha de 5 km. que a faz parecer uma miragem nos ardentes entardeceres do deserto. A beleza das culturas que recobrem os templos jainistas (s. XII ao XIV) se acrescentam a pedra dourada, finalmente trabalhada. O por do sol dos Mausoléus da Família Real é espetacular!

 

CHENNAI
É famosa por ser a capital do cinema na Índia e do estado de Tamil Nadu. Foi a primeira capital do império britânico. Seu museu, especialmente a sala dos bronzes, nos conta a história do Reino Pallava. O mercado de Moore impressiona durante as noites.

 

 

 


Índia e
Índia e Índia g Índia j Índia i Índia h Índia f Índia 35 Índia d Índia c Índia b Índia 3


TANJORE

Foi a capital da dinastia Chola, a mais importante do sul da India. O grande Templo de Brihadishwara é a obra prima da arquitetura drávida, levantando sua torre piramidal de 60 m. Os bronzes Chola da galeria de arte, são a coleção de esculturas mais extraordinárias de toda a Índia.

MAHABALIPURAM
Antigo porto do Reinado Pallava. Durante vários séculos foram esculpidos na rocha dos 5 Rathas (grandes carros) e um maravilhoso baixo relevo na “descida do Ganges”, representando a mitologia hindu. Ao final do século VIII foi construído o “Templo da Orilla”, que desafia as ondas do oceano há muitos séculos.

 

TRICHY
Célebre por ser a cidadela do Templo de Srirangan com seus 7 recintos, e o Forte da Rocha, que se levantam mais de 90 metros sobre os telhados da cidade.

 

MADURAI
Capital espiritual do país tâmil, é hoje uma das cidades mais fascinantes do sul, sempre repleta de numerosos fiéis que abarrotam as distintas dependências e corredores do templo Meenaskshi. A visita se completa a noite com a cerimônia do adormecer da Shiva.


PERIYAR
Encravado em plena montanha, acolhe uma grande reserva natural ao redor de um lago. Na selva, elefantes, tigres, leões e macacos.

 

KUMARAKOM
Chegamos baixando as colinas cobertas de plantações de chá, cacau, pimentas e borracha Seus famosos "backwaters" atravessam toda a área, comunicando-se com Quilom e Allepey. É o lugar ideal para relaxar e desfrutar das instalações de modernos hotéis tipo resort, nos quais se pode desfrutar um ambiente incomparável, descansar e aproveitar para receber uma massagem ayurvédica e dar um passeio pelos "backwaters" ao entardecer.

 

COCHIN
É a capital do estado de Kerala, antigo porto holandês e ainda conserva a parte antiga da cidade com suas estreitas ruelas e casas de época; a mais importante Sinagoga do Sul da Índia, e a Igreja em que foi enterrado Vasco da Gama.

 

MYSORE
É a cidade medieval dos palácios do estado de Karnataka. O do Marajá, de estilo indu mulçumano reflete o refinamento desta cidade, famosa por suas sedas, sua madeira de sândalo e o aroma de seu jasmim. Percorrendo14 km se encontra Srirangapatnan, com as ruínas de uma impressionante fortaleza, o palácio de verão do sultão cercado por um precioso jardim e o Templo de Sriramgan.

 

É IMPORTANTE SABER:

QUANDO IR ?

O país está dividido em duas zonas climáticas: O Norte e o Sul

Norte:

Tem 3 estações predominantes:
Inverno: De Novembro a Fevereiro: Temperaturas diurnas suaves, nocturnas baixas. Névoas matinais em Dezembro e Janeiro, e as vezes chove.
Verão: De Março a Junho: Temperaturas diurnas e noturnas muito altas. Época seca.
Monções de Julho a Outubro: Época de chuvas torrenciais normalmente breves. Os meses de Fevereiro e Outubro são as épocas de transição. No mês de Fevereiro o calor pode chegar mais cedo e em Outubro se pode prolongar a monção.

Sul:

O Sul também tem 3 estações diferenciadas:
Inverno: Novembro a Fevereiro: Temperaturas suaves com poucas monções.
Verão: de Março a Junho: Temperaturas altas. Época seca.
Monções de Julho a Outubro: Chove e temperaturas mais suaves.

QUE ROUPA LEVAR?

Roupa cômoda, de preferência de algodão. Calçado, roupa e casacos para os transportes com ar condicionado, hotéis e para as noites entre Novembro e Fevereiro. Sapatos cômodos e meias para templos em que tenha que ficar descalço (nos templos Sikh não se permite levar meias, cintos ou artigos de couro nos templos hindus). Guarda-chuva (para as épocas de chuva) e óculos de sol.


MOEDA

A moeda é a Índia Rúpia, dividida em 100 paisa, não só esta moeda pode ser usada pelos turistas. Existem notas de 500/100/50/20/5/2/1 (INR) rupias. Cambio oficial 1 USD = 45 INR / 1 EUR = 55 INR aproximadamente. Nunca são aceitos notas estrangeiras rasgadas ou coladas. Por outro lado, não é recomendado aceitar notas de Rúpia rasgadas ou coladas, já que são admitidas somente em bancos. A Índia Rúpia não é aceita fora do país, exceto no Nepal. Não obstante, no Nepal não se admitem notas de 500 INR, somente de 100 INR.


O QUE COMER?

A comida indiana é muito condimentada e variada. Todos os hotéis têm comida ocidental e chinesa. Existem várias de tipo de pão . Convém comer coalhada e côco ralado para evitar os efeitos da comida picante, assim como não beber água em demasia.


VACINAS

Para cidadãos brasileiros,é obrigatória a vacina contra febre amarela.

VISTO

É necessário passaporte com no mínimo 6 meses de validade para todos estes países.

Índia:
Os brasileiros precisam de visto para poder entrar na Índia. É necessário também Certificado Internacional de Vacina contra Febre Amarela.  Os residentes dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul devem-se dirigir para o Consulado da Índia em São Paulo Av. Paulista 925 7° andar 01311-100 São Paulo - SP- Tel: (011) 3171 0340/41 Fax: (011) 3171 0342. Os residentes dos outros estados tem que contatar à Embaixada da Índia em Brasília SHIS QL 08 Conjunto 08, Casa 01, Lago Sul, Brasília-DF - 71.620-285 -Tel: (61) 32484006.

Nepal:
Os brasileiros precisam de visto para poder entrar no Nepal.  O visto se obtem no desembarque no pais. É necessário Certificado Internacional de Vacina contra Febre Amarela.

Butão:
Os brasileiros precisam de visto. É necessário Certificado Internacional de Vacina contra Febre Amarela. O visto deve ser solicitado dois meses e meio antes do início da viagem. São necessárias 2 fotos 5X7 e pagar uma taxa de US$ 20.

Sri Lanka e Maldivas:
Formulario preenchido e assinado , 2 fotos 3X4 recentes, copia da passagem , ou print da reserva.

Indonésia:
Brasileiros não precisam de visto para uma permanencia de menos de 1 mês. É necessário Certificado Internacional de Vacina contra Febre Amarela.

Ilhas Maurícius:
Não é necessario visto. É necessário Certificado Internacional de Vacina contra Febre Amarela.

PRESENTES PARA VIAGENS DE LUA DE MEL

Nos hotéis ITC Mughal Sheraton e Rajputana Sheraton receberão um bolo de casamento e flores. Uma massagem para o noivo e uma massagem facial para a noiva. Em caso de hospedagem em ambos os hotéis, somente é aplicado para um dos hotéis.

 

Nos hotéis da cadeia Taj receberão: bolo de casamento, garrafa de vinho espumante, flôres e frutas.

 

No hotel Shiv Vilas (Jaipur) receberão: flôres de boas vindas, um jantar (sem bebidas) e uma massagem.

 

Nota: Os noivos deverão informar sua data de casamento no momento de realizar a reserva e anexar um documento comprovante.

 

 

Termos de Uso do Portal
Este portal é de propriedade da Fui Viagens e Turismo, a qual se exime de qualquer ônus decorrente do mal uso das informações aqui disponíveis. Todo conteúdo - texto, imagens, vídeos, links -  deste portal é de propriedade intelectual privada. Sua divulgação - mesmo que parcial - não está autorizada.

Fui Viagens - Nossa Sra. de Copacabana 1183 Cobertura 2 - CEP 22070-011- Rio de Janeiro - Tel: +55 21 2227 3164 - 2113 9050 - info@fuiviagens.com.br
Horários de funcionamento: De Segunda à Sexta: 09:00 - 18:00 - Sábado e Domingo: Fechado
© 2019 FUI VIAGENS BRASIL - Todos os direitos reservados