Regiões
 

 

Mar Negro

Com suas costas bordadas de praias fenomenais e de antigas aldeias de pescadores, a região do Mar Negro merece ser visitada. É a região mais complexa da Turquia, onde a cultura e os costumes permanecem fiéis às tradições.

 

A Região do Mar Negro
Fundada pelo século VII a. C., sob o nome de Amisos e sucessivamente conquistada pelos Gregos, pelos Romanos e pelos Bizantinos, a cidade viu o seu desenvolvimento travado pela concorrência da sua vizinha Sinope. No reinado do Seljúcida Kikiç Arslan II, ela tomou o nome de Samsun e tornou-se um grande centro de comércio sobre tudo graças aos Genoveses que, todavia a destruíram completamente pelo fogo. Depois da conquista pelos Otomanos, ela foi fortificada no século XVII como prevenção contra os ataques russos. Foi nesta cidade que Atatürk deu início à organização da resistência nacional. Samsun é hoje em dia uma cidade industrial moderna e o maior porto turco do Mar Negro.

 

Ordu
Situada ao pé de uma montanha verdejante, foi nesta cidade que embarcaram Xenofonte e os Dez Mil, no final da sua expedição na Mesopotâmia.
Podem ver-se ainda os vestígios de lugarejos gregos datando do século V a. C., assim como uma igreja armênia construída sobre o local de um templo pagão consagrado ao culto de Jasão.

 

Ünye
As combinações das rochas púrpuras, e do verde das plantações de avelãs, oferecem uma vista surpreendente a partir do Hotel da Vila do século XVIII. Não longe da praia Camlik, Unye é um charmoso porto de pesca onde um passeio a beira, mar é muito agradável.

 

Giresun
A antiga “Farmácia” foi no século II a. C. Farnace rei do porto, e foi rebatizada, mas tarde pelo nome de Cerasos. A origem da palavra cereja encontra-se no nome desta cidade de onde o general Luculo, por volta do ano 67 a. C. importou para Europa a primeira cerejeira. Ao pé da fortaleza bizantina estendeu-se um dos mais bonitos parques da Turquia.
Em frente do porto encontra-se a ilha de Giresun, célebre na antiguidade graças a um templo que as duas rainhas da Amazonas, Ortère e Antíope consagraram ao deus Marte.

 

Trabzon
Trebizonda, a antiga Trapezos, foi um importante centro de comércio, intermediário entre a Armênia e a Pérsia por um lado e os portos da costa Egeia por outro. Passando pelos domínios dos reis do Ponto do século IV a. C., depois pelo dos Romanos, a cidade cobriu-se de monumentos, e foi seguida de um segundo porto artificial. Destruídas pelos Godos, foi reconstruída por Justiniano, assim como fortificada com poderosas muralhas que a protegeram dos Seljúcidas e dos Mongóis.
Em 1204, Aleixo Commeno, fingido de Bizâncio, saqueado pelas cruzadas, fundou o Império de Trebizonda. Os monumentos melhores conservados desta época são a pequena igreja de Santa Sofia e as antigas e admirável Igreja de Santo Eugenio e Panaghia Chrisophalos( a virgem da cabeça de ouro), as duas transformadas em mesquitas. Último baluarte da civilização bizantina, a cidade foi assaltada pelos turcos em 1461. A 48 km, numa zona atrasada do país, encontra-se o impressionante mosteiro bizantino de Sümela, pendurado na parede quase vertical de um esporão rochoso, a 1200 metros de altitude. A maior parte dos edifícios atuais deste convento dedicado à Virgem, remonta ao tempo dos Commenos de Trebizonda. O imperador Aleixo foi ali condenado em 1340.

 

Rize
Reputada hoje em dia por ser a capital do chá na Turquia, Rize foi construída sobre os flancos de uma montanha que mergulha no Mar Negro. Aí podem observar-se bonitas casas em madeira sobre estacaria, assim como as ruínas de um castelo genovês e uma construção do século XVI: o Pasa Cami do Islã.

 

Ankara
As origens desta cidade, situada em pleno planalto da Anatólia, remonta o período neolítico. Aí se sucederam hititas, persas gregos, romanos, bizantinos. Tomada pelo império otomano em 1414, atravessou século em paz. Por razões estratégicas, políticas e sentimentais, Atatürk transferiu para Ankara a sede da capital em 1923. Hoje em dia a cidade conta com mais de 3 milhões de habitantes.

 

O Museu das Civilizações da Anatólia
Instalado no interior de um antigo “bedesten”(mercado coberto), restaurado, o museu expõe coleção de extrema riqueza que vai desde o período paleolítico, até o reino de Urartu(700-600 a. C.).
Reconstruções de uma câmara funerária de Catalhöyük, ainda com os seus afrescos e os túmulos de Alacahöyük que data da época neolítica. O museu reúne a coleção mais importante dos vestígios dos hititas no mundo, as escritas em cuneiforme dos assírios, uma repsresentação do túmulo do Rei Midas e muito mais!

 

O Mausoléu de Atatürk
Considerado o pai dos turcos, Mustafa Kemal Atatürk, o fundador da República da Turquia morreu em 10 de Novembro de 1938 em Istambul no Palácio de Dolmabahçe e foi enterrado no museu etnográfico de Istambul. Logo após seu falecimento começou a construção de um mausoléu para manter viva sua lembrança para onde foram transferidos seus restos mortáis em 10 de Novembro de 1953. Mistura de estilo arquitetônico antigo e moderno, construído com rochas provenientes de todas as províncias da Turquia, este monumento apresenta-se sob a forma de um templo rodeado de pórticos.

 

A Mesquita de Hacibayram
Esta mesquita data do século XV e até hoje é freqüentada. É nela que se encontra o túmulo do homem santo Haci Bayram. Patrono respeitado dos pobres e dos sem abrigo, morreu em 1430.

 

O Templo de Augusto
Na sua origem era um templo frígio, vindo a tornar-se o templo de Augusto antes de ser transformado em igreja bizantina, da qual subsistem capitéis e lanços de muros. Os turcos ali associaram uma pequena mesquita.

 

Cidades Hititas na Anatólia, Hattusas
A atual cidade de Bogazkoy, situada a 206 km a nordeste de Ankara, foi a capital dos hititas e a sede do seu potente império por volta do ano de 1400 a. C.. Dois séculos mais tarde, a cidade foi atingida por um furacão muito violento que o destruiui por completo.
Subsistem ainda hoje em dia algumas das portas de origem (a Porta dos Leões e a Porta Real) entre os muros da cidade. Da cidadela, pode-se contemplar Buyukkale, onde se encontram os palácios dos reis e dos imperadores hititas. Pode-se também observar, neste mesmo local, o grande templo dedicado ao deus do tempo Hatti, e à deusa do Sol, Arinna. Por toda a parte descobriram-se tabuletas de argila explicativas das práticas religiosas dos hititas.

 

Yazilikaya
Principal centro religioso dos hititas, o local remonta ao ano de 1275 a. C.. No santuário rupestre encontram-se numerosos relevos gravados na rocha representando as divindades adoradas.

 

Alacahoyuk
Encontram-se neste local os símbolos da Anatólia: a Águia e o Sol. Objeto de escavações recentes, esta cidade pré-hitita revelou túmulos reais de fabulosas riquezas, podendo-se admirar a bela porta monumental da Esfinge.

 

Konya
Depois dos Hititas, sucessivamente dominada por diferentes civilizações, a cidade passou a chamar Iconia.
Embelezada pelos Romanos, transformou-se numa cidade bizantina, antes de ser conquistada pelos Seljúcidas que a fizeram capital do sultanado de Rume. Konya tornou-se um centro religioso, cultural e comercial de primeira ordem. Capital do Islamismo turco, esta cidade é famosa pelas suas construções religiosas.

 

Monumentos Seljúcidas do Século XIII
A Mesquita do Aladino reutiliza 42 colunas greco-romanas para sustentar um bonito madeiramento esculpido. A Madrasa de Karatay abriga o Museu das Cerâmicas, o de Ince Minareli(do minarete magro), o Museu de Arte Seljúcida e a Sirçali(de vidro) o Museu dos Monumentos Funerários: os três dão para uma bela fechada em mármore ricamente esculpida.
O seu mausoléu reconhece-se pela sua torre coberta de faiança esmaltada turquesa que se encontra no interior do seu antigo convento (Tekke) dos Mevlevi transformado hoje em dia no Museu Mevlana. Este sábio, teólogo, poeta místico que escolheu como caminho para alcançar Deus a via da dança e da música, instituiu o sema: concerto espiritual, onde misturando-se a voz e tambores, domina o ney, longa flauta de roseira, de som singularmente melancólico e enfeitiçante.
Uma centena de derviches participam desta dança cósmica, à semelhança dos astros e planetas em volta do Sol, em grupos de nove dançarinos(ou um múltiplo de nove). A dança dura quase uma hora. Eles ficam com o pé direito fixo no chão, a mão direita levantada para o céu, para receber a graça de Deus, e a mão esquerda virada para terra, para a entregar aos que precisam. O alto chapéu de feltro de cor de vinho representa a estrela do túmulo, o vestido branco de pregas largas, o sudário. Para eles o encontro com Deus, no dia da morte, é o momento mais feliz das suas vidas.

 

Endereços em Ankara
Escritório de Turismo e Informações
Aeroporto de Esenboga:Tel.(312) 398-0348
Tandogan: Tel.(312) 488-7007/229-2631

 

Restaurantes
Lês Ambassadeurs: Hotel Merit Altinel, Tandogan. Tel.231-7760
Amisos: Ergin Sokak 24, Mebusevleri. Tel.213-9155
Bel – Pa: Bahçelievler otobüs duragi(terminal dos ônibus). Tel. 222 22 91-92
Biz Restaurant: Resit Galip Caddesi, Hatir Sokak 4 Gaziosmanpasa. Tel. 436-5838
La boheme: Köroglu Caddesi 96/A, Gaziosmanpasa. Tel.436-3101
Bordeaux: Rest Galip Caddesi, Hatir Sokak 14. Tel. 446-1846
Casa Bonita: Resit Galip Caddesi, Gölgeli Sokak 17/A, Gaziosmanpasa. Tel. 446-3066
Cengiz Kaan: Köroglu Sokak, Gaziosmanpasa. Tel. 437-5101
Dede Efendi: Tunah Hilmi Caddesi 99. Tel. 426-1365
GM: Tunali Hilmi Caddesi 213. Tel. 426-3763
Iskele: Tuna Caddesi, Kizilay. Tel. 433-3813
Lê Jardin: Hotel Sheraton, Kavaklidere. Tel.468-5454
Boyacizade Konagi: Berrak Sokak 9, Anadolu Medeniyetleri Müzesi Yani. Tel. 310-2525
Mangal 2: Kologlu Sokak 29, Cankaya. Tel 440-5353 -439-1650
Marco Polo: Hilton Hotel, Kavaklidere. Tel 468-2888
Marlin: Cevre Sokak 7/A, Cankaya. Tel.427-0704
Pineapple Restaurant: Köroglu Sokak, Gaziosmanpasa. Tel 446-5327
Poupée Dönen: Atakule. Tel. 440-7412
Rihtim: Bugday Sokak 2/A, Kavaklidere. Tel. 427-2532
Ülker: Yunus Nadi Sokak 21, Cankaya. Tel. 438-3297
Washington: Bayindir Sokak 22, Kizilay. Tel. 431-2218
Wine House: Bogaz Sokak 28, Kavaklidere. Tel. 467-6525
Zenger Pasa Konagi: Doyran Sokak 13, Kaleiçi. Tel.311-7070





trabzon
trabzon capadocia capadocia capadocia turquia capadocia turquia trabzon turquia ankara turquia capadocia mevlana turquia capadocia capadocia pacote-turquia viagem-turquia capadocia
 
A Capadócia

Em tempos muito remotos, havia nesta região vulcões que cuspiam lavas incandescentes misturadas com cinzas e pedra-pome. O vento e a água acabaram por esculpir este tufo macio, criando assim esta paisagem única no mundo que é ainda mais fascinante nas noites de lua cheia. Entre Kayseri, Nevsehir e Nigde, o habitat troglodita é omnipresente: grutas, pombais, centros monásticos e igrejas. Esta foi à terra de refúgio para as populações que fugiam dos invasores, ou para os ascetas que procuravam evadir-se do mundo.
Aqui se desenvolveram, a partir do final da Antiguidade, as grandes correntes místicas, tanto cristãs como mulçumanas.
É imprescíndível visitar o coração do país, Nevsehir, lugar chefe da região que conserva no cume da colina, as ruínas de uma cidadela seljúcida. Em Urgüp, mercado animado no sopé de uma falésia, deixamo-nos tentar pelos tapetes e pelos Kilims. Em Avanos, célebres pelos seus oleiros podem admirá-los trabalhando em caves abobadadas.

 

Aldeias Trogloditas e Chaminés de Fadas
Trata-se hoje em dia de um museu ao ar livre. De manhã cedo, nesta floresta de chaminés de fadas, entre oliveiras e damasqueiros, existem os pássaros e você... No cume da falésia, pendendo para Çavusin, a Igreja de São João Batista, possui pinturas murais do século VI. A partir de Ortahisar a fortaleza do meio, de Uçhisar três fortalezas ou de Kale o castelo-forte os panoramas são soberbos.
Em junho, os damascos que secam sobre os telhados, juntam-se ao charme local nesta Capadócia inundada de Sol...

 

Cidades Subterrâneas
As mais importantes são as de Kaymakli e Derinkuyu. Contam com chaminés de arejamento, dormitório, quartos, celeiros, silos, e capelas em declive. Mós de pedra obstruiam as saídas e a vida quotidiana se levava por baixo da terra por muito tempo sem ninguém suspeitar de uma população que se diz que atingiu trinta mil pessoas.

 

Igrejas Rupestres
Na sua maioria, os afrescos das igrejas rupestres foram pintadas entre os séculos IX e XI. Com o passar do tempo, pelas mudanças bruscas de temperatura, infiltrações, fumaça das velas, vandalismo e pelos grafitos que os próprios visitantes fizeram uma boa parte ficou danificada. Daí a campanha feita atualmente para a sua conservação e restauração pelas organizações internacionais, como a UNESCO.
Igreja de Göreme: a igreja da Fivela (Tokali Kilise) é a maior da região com afrescos do século X, representando cenas do Novo Testamento. Visita-se igualmente a Igreja da Maçã (Elmali Kilise) onde se pode ver uma imagem de Jesus com a fruta mencionada na mão; a Igreja Escura (Karanlik kilise), iluminada por uma minúscula janela; a Igreja da Sandália (Çarikli Kilise), assim denominada por possuir uma pegada seria a de Cristo e a Igreja da Serpente (Yilanli Kilise), inacabada.

 

Vales e Desfiladeiros
Fora das rotas turísticas, no sul de Urgüp, Soganli, é uma aldeia à beira d´água, com uma dezena de igrejas, algumas das quais merecem uma visita: a Igreja de Maria (Meryemana), a da serpente (Yilanli), do jacinto (Sumbulu). No caminho, pare em Mustafapasa que foi durante muito tempo habitado pelos gregos, e em Taskinpasa, pelos seus monumentos seljúcidas. Foram descobertas numerosas igrejas no grande canyon de Melendiz até Ihlara. Para os caminhantes e amantes da tranquilidade, o percurso do circuito estende-se por mais de 10 km. Abundam ribeiros subterrâneos. Cereais, vinhas, pomares e damasqueiros, beterraba sacarina e batatas, estende-se no fundo dos vales e nas planícies.

 

Endereços na Capadócia
Restaurantes
Hanedan Restaurant: Ürgüp. Tel. (384) 341-4266
Sömine Restaurant: Ürgüp. Tel. (384) 341-8442
Restaumicro: Ürgüp. Tel. (384) 341-2068
Ataman Restaurant: Göreme. Tel. (384)271-2310

 

Turquia Oriental
A Turquia Oriental oferece uma maravilhosa viagem no tempo.

 

Tarsus
De origem Hitita, Tarso conheceu sucessivamente numerosos conquistadores. Sob o domínio dos selêucidas, foi um grande centro de filosofia estóica. Personagens célebres estão associadas à sua história: Alexandre o Grande que aí ia afogando-se; Cleópatra fazendo a sua entrada em Vênus sentada no seu trono. Ali conheceu Marco Antônio; Cidade natal do apóstolo Paulo, que nela apareceu o ofício do tecelão, abrigou uma das primeiras igrejas cristãs. No período romano, a cidade foi ligada ao mar através de um canal e tornou-se muito próspera.
Apesar do seu brilhante passado, Tarso conserva escassos vestígios destes acontecimentos

.

 

Adana

Quarta grande cidade do país, situada no planalto fértil de Çukurova, Adana é considerada a capital turca do algodão e do limão. Por cima do rio Ceyhan, a ponte do século II construída no tempo de Adriano, com um comprimento de 310m, possui ainda 14 dos seus 21 arcos de origem. Constitui a única passagem para Síria e a Palestina.

 

Antakya (Antioquia)
É aqui que São Barnabé e São Paulo apreenderam a conversão dos populações e foi a partir de Antioquia que o cristianismo se expandiu pelo mundo. Umas séries de cataclismos destruíram consideravelmente a cidade.
O museu dos moisacos possui uma das mais ricas coleções greco-romanas do mundo que nos ensina acerca do elevado grau de perfeição, o modo de vida e as inclinações inteletuais da época.

 

Erzurum
Situada em um planalto a mais de 2000m de altitude, Erzurum, com seu nome antig "Teodosiopolis", foi uma das principais praças fortes bizantinas a partir do século VI da nossa era. No século VII, os Árabes batizaram-na com o nome de Arz Er Roum (terra dos romanos). Depois, foram sucessivamente ocupados pelos Armênios, os Seljúcidas, e os Mongóis (Tamerlão), antes de ser unida ao império otomano em 1515. Durante o periodo entre 1882 e 1916 pertenceu aos Russos. Depois da Guerra da Independência Turca continou a formar parte da Turquia. As muralhas bizantinas, a madrasa de dois minaretes em faiança esmaltada, os Turbe (túmulos octogonáis) e a Ulu Cami- "Mesquita Majestosa" do século XII- são os monumentos melhor preservados da cidade.

 

Kars
Sucessivamente hitita, frigia e depois urarte, esta cidade tornou-se capital da realeza dos Bagraditas no início do século X. Passou seguidamente para as mãos dos Bizantinos, dos Seljúcidas e dos Georgianos tendo desempenhado o papel de praça forte na fronteira turco-russa depois da conquista otomana. Ocupada em três assaltos pelos Russos, ela foi atribuída à Turquia depois do Tratado de Andrinopla (1920). Perto da impotente cidadela armeno-otomana, dotada de uma dupla muralha, encontra-se a igreja dos Santos Apóstolos. Atualmente, com características essencialmente agrícolas, a cidade fornece muitos produtos lácteos.

 

Ani
Depois de Kars, Ani tornou-se nova capital do reino Bagradita em 961. A cidade foi dotada uma dupla muralha no interior da qual foi edificada uma impressionante catedral.
Ani passou para as mãos dos Bizantinos em 1045, depois dos Seljúcidas e dos Georgianos. Foi finalmente invadida pelos Mongóis que em seguida a abandonaram, deixando para trás uma cidade fantasma. As ruínas da cidade desaparecida encontram-se espalhadas pelos campos dos arredores. Ani possui um dos mais belos panoramas do Oriente Próximo . A cidade situa-se sobre um planalto próximo das gargantas de Arpa Çayi cujo curso delimitou a fronteira turco-russa.

 

Dogubeyazit
Admiravelmente situada perto do Monte Ararat, a cidade é denominada pelas ruínas de origem Urarteanas, onde se encontra uma gigantesca saliência de terras com inscrições em caracteres cuneiformes.
Em frente estendem-se as ruínas do Palácio de Ishak Pasa do início do século XVIII, dentro das muralhas onde se encontra a mesquita, curiosa mistura de estilos seljúcida, armênio e georgiano.

 

Van
Depois do século XI a. C., a antiga Tushpa, atual Van, foi capital do reino de Urarte. A sua grande prosperidade baseava-se no comércio (escravos, matérias primas, produtos acabados). Este povo atingiu um elevado nível de conforto, de cultura e de civilização. Por volta de 620 a. C., Urarte, arruinado pelas guerras com a Assíria, iniciou um irremediável declínio. Van foi finalmente conquistada pelos Medos no século VI, tendo-se tornado no centro do reino armênio de Tigranes. Depois da invasão árabe de 643, a cidade fica sob a soberania de Bagdad, para, mas tarde cair nas mãos dos Seljúcidas. Em 1387 Tamerlão arrasou a cidade que não conseguiu reconstuise. Anexada ao império otomano em 1534, foi devastada no decorrer do conflito russo-turca em 1915, e depois reconstruída. Do cume da cidadela, tem-se um panorama magnífico sobre o lago de Van e as da cidade antiga.

 

Akdamar
Esta ilha única no meio do lago de Van serviu no século VII de base estratégica ao reino armênio dos Rechtouni de Vaspurakan, que queriam-se defender dos Bizantinos e dos Árabes. No século X o rei Gagik Ardzrouni ali construiui um palácio e a igreja Santa Cruz, verdadeira maravilha da arquitetura. A decoração exterior extremamente rica apresenta escultura de animais, de santos e cenas figurativas. Alguns afrescos de grande de beleza subsistem no interior.

 

Guzelu
Esta pequena aldeia foi outrora conhecida sob o nome de Hosap. Encontra-se dominada pela silhueta massiva do castelo de Hosap, fortaleza curda construída no século XVII por Solimão, sobre um pico rochoso tão elevado, que permitia a máxima vigilância dos movimentos inimigos. Uma muralha guarnecida liga o castelo à aldeia.

 

Çavustepe
Na época do rei Sardur,testemunha um alto nível de civilização, e constituiu o cúmulo dos acabamentos políticos de Urartu, tanto na arquitetura, como na cultura e atividades artísticas. O local da antiga Sardurihinili é disso testemunha. Terras áridas e desérticas foram transformadas numa cidade fortificada, irrigada por um canal de 52 km ainda hoje utilizado pelos camponeses, com jardins e terras cultivadas, de grandes monumentos às divindades Haldi, Irmushini, o palácio, as cisternas, as lojas, ... As dimensões dos enormes blocos de basalto e qualidade do trabalho artístico dos pequenos fragmentos até aos templos e às muralhas (obra-prima da arquitetura de Urarte), comprovam o poder do rei Sardur
.












Links Relacionados
Termos de Uso do Portal
Este portal é de propriedade da Fui Viagens e Turismo, a qual se exime de qualquer ônus decorrente do mal uso das informações aqui disponíveis. Todo conteúdo - texto, imagens, vídeos, links -  deste portal é de propriedade intelectual privada. Sua divulgação - mesmo que parcial - não está autorizada.

Fui Viagens - Nossa Sra. de Copacabana 1183 Cobertura 2 - CEP 22070-011- Rio de Janeiro - Tel: +55 21 2227 3164 - 2113 9050 - info@fuiviagens.com.br
Horários de funcionamento: De Segunda à Sexta: 09:00 - 18:00 - Sábado e Domingo: Fechado
© 2019 FUI VIAGENS BRASIL - Todos os direitos reservados